Como é o mega-gasoduto resultado do ‘acordo do século’ entre a Rússia e a China

Os presidentes da Rússia e da China lançaram nesta semana o gasoduto Força da Sibéria, que fornecerá gás da região de Yakutia, na Sibéria, para o norte da China.

O projeto, iniciado em 2014, foi inaugurado pelos líderes Vladmir Putin, na cidade de Sóchi, e Xi Jinping, de Pequim, por videoconferência.

O chamado “acordo do século” entre o grupo Gazprom, da Rússia, e a Corporação Nacional de Petróleo da China, é resultado de um investimento de US$ 55 bilhões (cerca de R$ 230 bilhões).

Ao longo de 3 mil quilômetros, o gasoduto fornecerá 38 bilhões de metros cúbicos de gás ao ano, em um contrato que durará 30 anos.

“Esse é realmente um evento histórico”, declarou o presidente Putin, “não só para o mercado energético global, mas sobretudo para nós, para a Rússia e para a China”.

Xi Jinping, por sua vez, disse que “o lançamento do gasoduto é um resultado transitório importante e o começo de uma nova etapa” de cooperação entre ambos países.

Dez anos de negociação

O acordo abre para a Rússia um importante mercado de exportação de gás depois da queda da demanda e de preços na Europa, além de sanções internacionais impostas contra Moscou por sua incursão na Ucrânia e anexação da Crimeia.

Do ponto de vista chinês, o projeto permitirá assegurar um abastecimento de energia fixo no meio de uma escassez de produção interna e das exigências de ser a segunda economia do mundo.

Também permitirá a Pequim ficar parcialmente independente do consumo de carvão e petróleo como principais fontes de energia e trocá-las pelo gás, que é menos poluente e deixa uma pegada de CO2 menor.

A construção do gasoduto começou pouco depois da imposição de sanções contra a Rússia, mas foram dez anos de negociação, em parte por uma disputa de preços.

Na época, o analista da BBC Jamie Robertson escreveu que “era possível que Putin não tenha levado a melhor parte do contrato de gás, mas conseguir abrir as portas econômicas da China pode ser uma conquista muito maior”.

COMPARTILHAR