Uma semana após aprovação condicional da Anvisa, Saúde não tem data para Covaxin

Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva do ministro de Estado da Saúde. A Comissão Parlamentar de Inquérito investiga ações do governo federal no enfrentamento da pandemia e aplicação de recursos da União transferidos para estados, Distrito Federal e municípios para essa finalidade. A reunião acontece no formato semipresencial por decisão do presidente do Senado Federal. Em pronunciamento, à mesa, ministro de Estado da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Assim como os governos estaduais ainda não têm data para chegada da vacina russa Sputnik V, o Ministério da Saúde não soube dizer uma data para a chegada da vacina indiana Covaxin.

A importação de ambas foi aprovada pela Anvisa na última sexta (4), mas com várias condicionantes – como serem aplicadas em no máximo 1% da população e em centros de saúde especiais.

O Ministério da Saúde informou nesta sexta (11) a O Antagonista estar “em diálogo com o laboratório para ajustes na documentação para emissão da Licença de Importação junto a Anvisa. A pasta receberá as doses contratadas, com validade que proporcione ao Programa Nacional de Imunização (PNI) a distribuição e a aplicação do imunizantes”.

O ministério pediu à Anvisa autorização para importar 20 milhões de doses. A Anvisa autorizou a pasta a importar 4 milhões, o suficiente para aplicação em 2 milhões de pessoas (cerca de 1% dos brasileiros) com duas doses.

O Antagonista

COMPARTILHAR