Prefeitura de Feira prorroga decreto que flexibiliza comércio e autoriza shoppings

A medida autoriza o funcionamento dos shoppings do município das 12h às 19h, exceto aos domingos, quando deverão ficar de portas fechadas

A prefeitura de Feira de Santana, cidade localizada a cerca de 100 quilômetros de Salvador, publicou nesta segunda-feira (29), em edição extra do Diário Oficial, um decreto que prorroga a flexibilização das atividades comerciais até o dia 6 de julho. A medida autoriza o funcionamento dos shoppings do município das 12h às 19h, exceto aos domingos, quando deverão ficar de portas fechadas.

“Retomada de atividades econômicas é muito mais do que comércio, do que banco. Nós estamos entendendo uma ação também do ponto de vista social também maior, que inclui a ação de funcionamento dos diversos estabelecimentos. Então nós vamos manter o decreto e reavaliá-lo no dia 6 de julho”, declarou o prefeito Colbert Martins, durante coletiva na manhã desta segunda, em que ele falou sobre o decreto.

O decreto já havia sido prorrogado na semana passada e estava para vencer nesta segunda. A retomada das atividades comerciais em Feira de Santana ocorreu no último dia 16, com todos os estabelecimentos de até 200 metros quadrados, com horário de funcionamento das 9h às 16h, mas em dias específicos, a depender do setor.

O prefeito de Feira de Santana informou que o funcionamento dos estabelecimento será escalonado. Nas segundas, quartas e sextas-feiras, estão autorizadas a funcionar, por exemplo, óticas, locadoras, concessionárias, lojas de conveniência, floristas e outros. Nas terças, quintas e sábados, funcionam lojas de material de construção, barbearias, salões de beleza e outros.

Prefeitura de Feira de Santana prorrogou decreto que autoriza reabertura de parte do comércio — Foto: Divulgação/Prefeitura de Feira de Santana

Prefeitura de Feira de Santana prorrogou decreto que autoriza reabertura de parte do comércio — Foto: Divulgação/Prefeitura de Feira de Santana

Bares e restaurantes seguem impedidos de atuar com atendimento presencial. O não cumprimento das medidas estabelecidas no decreto será caracterizado como violação à legislação municipal e sujeitará o infrator às penalidades e sanções aplicáveis, inclusive, no que couber, cassação de licença de funcionamento.

Segundo o último boletim da Secretaria de Saúde do estado (Sesab), Feira de Santana possui 3.072 casos confirmados de coronavírus, com 46 mortes em decorrência da doença.

Prefeito responde

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da TV Bahia, nesta segunda-feira, o secretário estadual da saúde, Fábio Vilas-Boas falou sobre alguns posicionamentos da prefeitura de Feira de Santana. Ele afirmou que, além da flexibilização do comércio, a prefeitura não disponibilizou pontos de testagem. Disse ainda, que a Secretaria de Saúde instalará uma tenda para coletar amostras e diagnosticar pessoas com sintomas da Covid-19.

Na coletiva, ao ser questionado sobre os pontos de testagem citados pelo secretário, Colbert disse que não atendeu o pedido da secretaria pois entende que a medida pode ser adotada de outra forma.

“O secretário Fábio Vilas-Boas fez uma solicitação desse tipo e nós não atendemos porque achamos que temos que descentralizar e não centralizar. Ele quer fazer um posto de testagem e um monte de gente vai para o mesmo lugar. Secretário Fábio não conhece Feira de Santana para fazer uma proposta dessa. A nossa ideia é colocar postos de testagem em 130 postos na cidade inteira inclusive na zona rural”, disse.

Para o prefeito de Feira de Santana, há uma forma de fazer mais testes na população. “Achamos que não é a estratégia mais adequada para isso. Entendemos que não é um pedido do governo do estado é uma sugestão dada pelo secretário de Saúde e eu, como prefeito e como médico, conheço muito essa situação. Eu sei o que é bom e o que não é necessário. Nesse aspecto aí, a solicitação dele é só ouvir a sugestão, mas eu entendo que tem uma forma melhor de se fazer e quem decide sou eu”, disse.

Ainda na entrevista ao telejornal, Fábio Vilas-Boas disse que mantém o sinal de alerta ligado para alguns municípios, principalmente aqueles que flexibilizaram as atividades comerciais, incluindo Feira de Santana.

“Feira de Santana já é a terceira vez que abre e fecha comércio. Infelizmente, em plena rampa de aceleração, houve a decisão da prefeitura de abrir. E nos últimos dias não é só no gráfico ou nos números não. Visivelmente existe um aumento de casos”, disse Vilas-Boas na entrevista.

Sobre essa fala do secretário, o prefeito informou que há outras cidades da Bahia em situação mais crítica e que o comércio de Feira será reaberto de forma escalonada e reforçou:

“Nessa maneira de ação, Feira sabe como agir, temos formas, estudos e acompanhamentos para poder definir a situação que compreendemos adequada”.

G1 Bahia

COMPARTILHAR