Índia recebeu pedidos de vacinas de 69 países; ação atrapalhada de Ernesto coloca o Brasil no fim da fila

Serum cumprirá contrato, mas tem até 90 dias para fazê-lo e não há disposição para antecipar a entrega do lote de 2 milhões de vacinas, enquanto Ernesto Araújo permanecer no comando da diplomacia brasileira.

Por Claudio Dantas

O Ministério das Relações Exteriores da Índia informou hoje que o país recebeu encomendas de vacina de vários vizinhos e parceiros estratégicos e que o governo está empenhando em garantir o fornecimento a todos.

O Antagonista apurou que o Brasil integra uma lista de 69 países, mas deixou de ser prioridade. Fontes diplomáticas indianas afirmam que a atuação de Ernesto Araújo é comparável a “um elefante numa loja de cristais”.

O antichanceler brasileiro exibiu postura “arrogante”, chegando a dizer que seria um privilégio para a Índia fornecer vacinas ao Brasil. Para as autoridades locais, faltou sensibilidade para entender o contexto social e geopolítico.

O Instituto Serum vai cumprir o contrato, mas tem até 90 dias para fazê-lo e não há disposição para antecipar a entrega do lote de 2 milhões de vacinas, pelo menos enquanto Ernesto Araújo permanecer no comando da diplomacia brasileira – o que impede também a negociação de novos lotes.

Segundo a Chancelaria indiana, amanhã receberão imunizantes Butão, Maldivas, Bangladesh, Nepal, Myanmar e Seychelles. Na sequência, em data a ser definida, serão abastecidos Sri Lanka, Afeganistão e Ilhas Maurício.

O atendimento de vizinhos é estratégico para conter a crise sanitária. O ministério explicou ainda que a exportação de imunizantes para outros países precisa ser calibrada com a demanda interna e com obrigações já assumidas no âmbito da Covax Facility.Fonte: O Antagonista

COMPARTILHAR