Com ansiedade e violência em alta, universidades apostam em cães para aliviar estresse

 

A volta às aulas não tem sido tão tranquila como o esperado no Chile. Algumas universidades do país precisaram da ajuda de cães para aliviar o estresse dos estudantes. Em um dos campi da Universidade Católica (UC), três doguinhos fazem parte do grupo de 10 cães da Fundación Tregua, que desempenham funções parecidas em hospitais pediátricos, fundações para crianças com deficiência e casas de repouso.

Os peludos, que ficam na “Zona livre de estresse e ansiedade” da universidade, são: Uva, um labrador fêmea de sete anos, Pepe, um golden da mesma idade, e Chumi, uma vira-lata. Eles deixam que os estudantes os acariciem e brinquem com eles. Os alunos, por sua vez, afirmam que o simples fato de estar com os animais já reduz o estresse da volta às aulas. 

“Os cães gostam desse trabalho. Eles são criados para gostar muito do contato com pessoas”, afirmou a diretora da Tregua, Camila Arteaga.
“O retorno tem sido difícil para todos. Temos uma geração que está começando a descobrir o que é ir para a universidade, e isso traz certos momentos de ansiedade”, explicou Ignacia Pfingsthorn, do Programa de Ansiedade, Estresse e Sono da UC ao AFP. 

COMPARTILHAR