Rui cancela compra de respiradores da China e revela ‘hotéis’ para infectados

Pacientes que aceitarem ficar em espécie de hotel, em Salvador, vão receber, além de cesta básica, R$ 500
"/>

O governador da Bahia, Rui Costa, anunciou que está cancelando a compra dos respiradores de um fornecedor da China que atrasou a entrega dos equipamentos.

Em entrevista veiculada pela internet no início da tarde desta segunda-feira (7), o governador afirmou que é a segunda remessa de respiradores que não chega – a primeira ficou retida nos EUA.

“Até o dia de hoje, não conseguimos concluir uma compra. A primeira que fizemos ficou presa nos Estados Unidos. Pagamos 18 mil dólares [a unidade]. A segunda compra, também por 18 mil dólares, também estamos cancelando. O fornecedor não entregou. Se você conhecer um fornecedor que tenha para me entregar amanhã, eu pago R$ 160 mil, R$ 170 mil, R$ 180 mil. Não é por R$ 20 mil ou R$ 30 mil que vou deixar de salvar pessoas”, afirmou.

Na última terça-feira, o secretário de saúde do estado, Fábio Villas Boas, havia revelado o atraso na entrega dos equipamentos. Em seguida, Rui Costa afirmou que tem a sensação de que está havendo um leilão na linha de produção das fábricas.

Ainda sobre respiradores, o governador da Bahia revelou que firmou acordo com uma empresa para o fornecimento de respiradores no Hospital de Teixeira de Freitas.

“Fizemos uma parceria com a Suzano Celulose, que ficou responsabilizada pela estrutura e fornecimento dos respiradores. Entraremos junto com a prefeitura com operação e custeio do hospital. Pedi para que o secretário faça contato com a Suzano, para acelerar a implantação da unidade”, disse.

Rui Costa revelou ainda que, após ter conversado com o prefeito ACM Neto, vai anunciar a criação de um espaço para receber pacientes infectados pelo coronavírus, que funcionaria como uma espécie de hotel.

Segundo Rui, o paciente que aceitar passar 14 dias nesse local receberá, além de cesta básica, uma quantia de R$ 600. A medida vale inicialmente para Salvador, mas deve ser estendida para o interior do estado.

“A outra medida, que conversei e vou anunciar hoje de tarde, mas vou estender para o interior, é que criamos em Salvador espaços que nos permitam monitorar o avanço, a evolução clínica das pessoas que deram positivo. Não são hospitais, mas é uma espécie de hotel, com alimentação, onde conseguimos acompanhar a saúde das pessoas. Tem medição de pressão, temperatura, para avaliar a evolução do quadro clínico. Com isso conseguimos que não precisem de UTI”, falou Rui

“O prefeito me veio com a ideia e vou propor hoje. As pessoas com teste positivo que aceitarem ficar nesses locais por 14 dias, a gente, além de garantir a cesta básica, a gente garante o pagamento de um valor adicional de R$ 600, para que ele fique sendo acompanhado os 14 dias. Com isso, a gente vai conseguir reduzir drasticamente o nível de contaminados”, acrescentou.

O Governador Rui Costa lembrou ainda que, mantida a atual taxa de crescimento do coronavírus, os recursos para atender os pacientes com a Covid-19 vão se esgotar no final de março.

“Nós não temos condição de sustentar essa taxa de crescimento. Mantendo, nós esgotaremos os recursos que temos, no máximo, até o final de maio. A verdade nua e crua é essa. Os EUA estão chegando a 80 mil mortes. A previsão é que, nos próximos dias, passe dos 100 mil. O país mais rico do mundo não está conseguindo garantir leitos para todos que precisamos. Se os EUA não estão conseguindo, nós estamos longe de ser o país que tem mais médicos por habitante no mundo”, afirmou.

Comitê de transparência

Inspirado em uma decisão tomada pelo governo do Ceará, Rui Costa decidiu criar um comitê de transparência para acompanhar as decisões relativas ao coronavírus, com participação do Ministério Público e do Tribunal de Contas do Estado.

“Hoje, resolvi convidar a procuradora geral da justiça e presidente do Tribunal de Contas do Estado. Eles aceitaram a sugestão. Vamos montar aqui na Bahia, para que já possa instalar amanhã, o comitê da transparência, para acompanhamento de todas as decisões diárias do governo no combate ao coronavírus”, disse.

COMPARTILHAR