Prefeito encaminha à CMS Projeto de Lei que estende Salvador Por Todos até dezembro

Custo de programa, nos últimos três meses do ano, será de R$ 15 milhões

Durante o balanço das ações realizadas pela Prefeitura de Salvador, nos últimos 180 dias, o prefeito ACM Neto (Democratas) disse que vai encaminhar ainda nesta terça-feira (15), à Câmara de Vereadores de Salvador, um Projeto de Lei (PL) que estende o auxílio “Salvador Por Todos”, de R$ 270, até dezembro deste ano.

Além dos que já vinham recebendo normalmente o benefício, vão passar a ter acesso ao montante, segundo o gestor, pessoas em situações de rua, cadastradas entre os dias 7 e 17 de julho nas bases de alimentação localizadas nas regiões da Barroquinha, Itapuã, Estacionamento São Raimundo (Barris), Pau da Lima e São Tomé de Paripe. 

“O benefício será dado no lugar da distribuição da alimentação. Será uma transição, pois vamos desativar os cinco centros de distribuição de alimentos que vão funcionar até o final deste mês”, disse Neto.

Também serão incluidos no programa as pessoas em situação de rua que se cadastraram nos centros POPs e que comprovadamente utilizem as bases para realizar sua alimentação. De acordo com Neto, caso seja aprovado pelos edis, a prorrogração do programa terá um custo, nos últimos três meses do ano, de R$ 15 milhões. Além do benefício, o prefeito anunciou, também até dezembro, a continuidade da distribuição das cestas básicas às pessoas mais vulneráveis da capital baiana, com os custos, até dezembro, chegando a R$ 2,4 milhões.

Déficit

Na ocasião, o democrata trouxe também o balanço financeiro das ações realizadas pela prefeitura no combate a pandemia do novo coronavírus no período entre abril e agosto deste ano.

Enquanto foram feitos investimentos (despesas) da ordem de R$ 412 milhões e as receitas, no período, foram de R$ 416 mi, por outro lado, as perdas de receitas correntes (arrecadação) chegaram ao valor de R$ 288 milhões. No final das contas, houve um saldo negativo de R$ 283 milhões.

“Se Salvador não estivesse com contas em condições robustas, não teríamos conseguimos dar as respostas e manter a prefeitura funcionando”, afirmou ACM Neto.

COMPARTILHAR