Direita baiana se divide sobre Jair Bolsonaro

"/>

Dayane Pimentel, eleita sob as asas do bolsonarismo, insinuou que o ex-aliado tem postura autoritária

Parte da direita baiana também condenou a atitude de Bolsonaro. A deputada federal e presidente do PSL Bahia, Dayane Pimentel, eleita sob as asas do bolsonarismo, insinuou que o ex-aliado tem postura autoritária. “Tenho anos de luta contra o autoritarismo comunista. Farei a mesma coisa com a ideia de autoritarismo da (pseudo) direita. Não tenho ditador de estimação”, escreveu.

A líder do PSL na Bahia afirmou não seguir seitas, defender a família e as instituições, sobretudo as religiosas. Reafirmou apoiar “a cultura do respeito, a ideia de segurança com rigor, o combate à corrupção, a política séria, responsável, que gera resultados”. Ainda sobre os atos de violência que foram divulgados, foi enfática: “Essas pessoas que envergonham nossas cores verde e amarelo não passam de marginais disfarçados. Que nossa semana comece com essa reflexão: que tipo de gente queremos ser?”.

A deputada federal salientou ainda que sempre defendeu os princípios liberais e conservadores que são evidenciados em medidas dos ministros Paulo Guedes (Economia) e Sérgio Moro (Justiça). “Nessa crise de coronavírus, votei com o governo na votação do Plano Mansueto, mas não concordo com o toma lá, dá cá praticado pelo governo”, exemplificou a deputada feirense.

O deputado estadual Sandro Régis, líder da bancada de oposição e integrante do DEM, partido tem tese aliado da gestão federal, também se posicionou. “Neste momento, todos devemos deixar as brigas políticas de lado e focar no que importa que é combater o coronavírus e proteger as pessoas. Todos os grandes líderes do mundo seguem este caminho. Aqui, infelizmente, o líder do país parece não entender o grave problema”, ressaltou.

“Não é razoável que o líder do país saia às ruas, incentivando as aglomerações, que podem potencializar o contágio, e apoiando manifestação a favor da ditadura. Precisamos, ao contrário, fortalecer a nossa democracia para sairmos ainda mais fortes dessa. […] Imaginável que, neste momento em que enfrentamos um inimigo que já matou mais de 165 mil pessoas no mundo e mais de 2,4 mil no Brasil, aquele que deveria ser o líder do nosso país se comporta de maneira irresponsável, indo de encontro às recomendações da OMS”, completou.

O Movimento Brasil Livre Bahia (MBL-BA) divulgou uma nota nas redes sociais afirmando que “Bolsonaro é um farsante”. “Ele é o presidente que mais liberou emenda parlamentar na história, distribuiu sim cargos ao centrão, sancionou fundão de R$ 2 bilhões, juiz de garantias e etc. Agora o bonitão aparece em ato com militantes tentando enganar brasileiros falando que ‘não vai negociar’. Quanta mentira”.

Por: Henrique Brinco

COMPARTILHAR