Tecnologia do Bem: aliadas do ensino, ferramentas digitais têm sido imprescindíveis no ensino remoto

Apesar da faixa etária, Mariana Moraes Costa, 17, conta que não é uma das pessoas mais próximas da tecnologia, mas por conta da metodologia adotada pelo colégio que estuda, agora está mais fácil adequar a realidade do ensino híbrido. “Tive uma certa resistência, mas percebi que as ferramentas tecnológicas acabam facilitando minha vida pessoal e estudantil”, conta a estudante.

Com o cenário de pandemia, houve um acirramento ainda maior no uso de tecnologias em diversas áreas da sociedade. Entretanto, no caso do Grupo Perfil a realidade foi outra. As unidades educacionais já realizavam aulas em plataformas digitais há cerca de quatro anos e com o isolamento social foi apenas um momento de aprimorar o que já era uma realidade. 

“Nosso ano letivo não teve perdas por causa do preparo prévio que já tínhamos. Nosso ponto de atenção diário foi na melhora da aula remota, intensificando o uso de ferramentas que os educadores e estudantes já faziam uso”, explica o professor e coordenador do núcleo de tecnologia e inovação, Bruno Abdon.

Instalado em Lauro de Freitas, o Grupo Perfil é a primeira escola referência Google da Bahia, fruto do uso constante de recursos tecnológicos em suas práticas pedagógicas. Mas, o início dessa imersão digital teve seus desafios. Abdon conta que o processo de aceitação dos educadores foi o maior entrave quando o pioneirismo digital foi iniciado, mas atualmente todos percebem ganhos, sobretudo diante da realidade de aulas remotas. 

“Sem a tecnologia não teríamos aula há mais de um ano. Os educadores precisam ter contato com aplicativos e ferramentas que sejam criativas para despertarem uma forte interatividade com os estudantes. Esse tem sido um dos principais desafios da educação”, destaca Abdon.

Desde 2016, Mariana tem contato com as ferramentas google e isso a trouxe um aprendizado, o qual ela avalia como extremamente importante. “Tudo no mundo atual requer o entendimento de tecnologia e ter aprendido a lidar com esses aparatos desde tão jovem vai me ajudar quando eu precisar adentrar o mercado de trabalho”, explica.

Entre as plataformas adotadas pela escola estão o class craft e kahoot, que utilizam a linguagem dos games para engajar os estudantes no processo de aprendizagem. “Como o Grupo tem foco inovativo, entendemos que a tecnologia nos traz uma facilitação de processos. Dados permitem análises para soluções assertivas e personalização dando foco ao que é importante e percebendo os gaps que precisam de atenção”, aponta o educador.

COMPARTILHAR