PM abre inquérito para apurar se grupo de policias atacou ónibus e bancos

A Corregedoria da Polícia Militar abriu um inquérito nesta terça-feira (15) para investigar atos de vandalismo como ataques a ônibus e agências bancárias, ocorridos em diversos pontos de Salvador, após grupo de policiais militares anunciar paralisação. A informação foi divulgada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA).

Conforme a SSP-BA, a abertura das investigações ocorreu depois de um pedido do Ministério Público Estadual (MPE).

Os ataques começaram ainda na noite do dia 8 de outubro, quando houve o anuncio da paralisação. Durante as ações, um soldado da PM suspeito de atuar nos ataques foi preso após ser baleado em um confronto com policiais militares.

Por conta dos atos criminosos, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) abriu investigações no dia 11 de outubro. Na ocasião, os promotores afirmaram que os atos podem ser enquadrados na Lei de Segurança Nacional.

Crimes

Os crimes na capital começaram ainda na noite da terça-feira (8), horas depois do anúncio da paralisação. Houve ataques em Cosme de Farias, Liberdade, Cajazeiras VIII e X, Mussurunga, Caminho de Areia, Calçada e outros bairros da cidade.

Na quarta-feira, um ônibus foi atravessado por homens armados em uma pista marginal da Avenida Paralela [confira no vídeo abaixo], e estabelecimentos comerciais foram arrombados e saqueados no bairro de Tancredo Neves. No mesmo local, uma viatura da PM foi alvejada por tiros. Não houve feridos.

O soldado da PM foi preso na noite do dia 10, após ser baleado em um confronto com policiais militares, na Avenida Afrânio Peixoto, mais conhecida como suburbana. A Secretaria de Segurança Pública informou que o confronto aconteceu no bairro de Itacaranha, após homens atravessarem um ônibus do transporte público e um micro-ônibus nos dois sentidos da via.

Horas antes, um outro ônibus foi atingido por tiros na Rua Régis Pacheco, no bairro do Uruguai. Ninguém ficou ferido.

COMPARTILHAR