Ministério da Saúde amplia acesso ao contraceptivo DIU no SUS

Ministério da Saúde ampliou o acesso ao DIU de cobre, método contraceptivo não hormonal, na rede pública de saúde. A decisão foi publicada na quinta-feira (7) no Diário Oficial da União.

De acordo com o documento, o contraceptivoe terá disponibilização feita pelos estados, municípios e o Distrito Federal (DF) às maternidades integrantes do SUS, para “anticoncepção pós-parto ou pós-abortamento imediatas”. O objetivo do ministério é facilitar o acesso do contraceptivo as mulheres, já podendo ter alta do hospital com o dispositivo inserido.

O DIU poderá ser implantado até 10 minutos após a saída da placenta, para diminuir as chances de rejeição, mas ficará disponível para a mulher por até 48 horas. Caso a inserção não seja feita nesse prazo, será preciso esperar 40 dias para realizar o procedimento, diz o ministério. No caso de aborto, o DIU deve ser colocado após a curetagem.

A resolução trata-se de uma política de incentivo ao uso do DIU, que é mais barato e tem maior duração (em torno de 10 anos de eficácia). A pílula anticoncepcional costuma ser a primeira opção. O DIU é indicado para qualquer mulher maior de 14 anos e sexualmente ativa, que não tenha fatores de riscos para doenças inflamatórias pélvicas.

COMPARTILHAR