“O país não aguenta até 2023”, afirma Solla sobre impeachment de Bolsonaro

O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) defendeu o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O petista participou da manifestação #ForaBolsonaro no Campo Grande, em Salvador, neste sábado (3).

“O país não aguenta chegar até 2023 para se livrar desse genocida […] Depois de mais de 520 mil vidas perdidas, o país continua sofrendo as consequências desse governo em todas as dimensões, sanitárias, econômicas e sociais. É fundamental que as vozes das ruas se intensifiquem junto com a pressão no Congresso Nacional”, afirmou Solla ao defender o impeachment do presidente.

Solla criticou a postura do presidente na pandemia e destacou que os manifestantes estão protestando em defesa da vida e da saúde. Formado em medicina, o parlamentar ressaltou que as manifestações estão ocorrendo em todo Brasil com respeito ao distanciamento social e com a utilização de máscaras.

“Bolsonaro é o principal responsável pelas consequências da pandemia. Essa é a posição aqui, em defesa da vida, da vacina. Vacina no braço e comida no prato. São 15 milhões de brasileiros desempregados, a fome retornou, a miséria retornou”, complementou o petista.

As manifestações deste sábado ocorrem em um momento que o governo Bolsonaro é pressionado por suspeitas de corrupção na pandemia, como a situação da Covaxin e da denúncia de pedido de propina por um ex-diretor do ministério da Saúde. Esta é a terceira manifestação contra o presidente em menos de dois meses.

COMPARTILHAR