Na AL-BA, Rui Costa destaca investimento na educação

O governador Rui Costa (PT) foi, ontem, à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) para levar a mensagem do Executivo e adotou um duro discurso ao falar sobre a reforma da Previdência

O governador Rui Costa (PT) foi, ontem, à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) para levar a mensagem do Executivo e adotou um duro discurso ao falar sobre a reforma da Previdência, que enviou para a Casa e foi aprovada na semana passada. O chefe do Palácio de Ondina iniciou a sua fala condenando o que chamou de “prática criminosa” sofrida pelos deputados estaduais na votação do texto.

Durante a apreciação da proposta, um homem sacou uma arma e ameaçou os parlamentares. Em entrevista à imprensa, antes do discurso, Rui classificou o que houve como “vandalismo, bandidagem e crime”. Também afirmou que a Secretaria de Segurança Pública já apura os fatos “com o maior rigor”. “Em nenhum Parlamento do mundo é admissível o que ocorreu aqui, alguém entrar armado e ameaçar as pessoas. O deputado é livre para votar de acordo com sua consciência”, disse o governador.

Dentro da AL-BA, Rui reforçou: “O que nós vimos aqui é inaceitável. É a prática criminosa de alguns que são contratados pelo Estado, pela sociedade para dar segurança à população. (…) Utiliza a arma autorizada pelo Estado para ameaçar, constranger e eventualmente tirar a vida de qualquer cidadão ou tirar a vida de um representante do povo. É um crime e assim será apurado como ato criminal. O estado democrático de direito não permite conviver com essa prática”, ressaltou.

Sobre a reforma da Previdência, Rui afirmou que a da Bahia tem “menos impacto” para os servidores do que as aprovadas por outros estados brasileiros. Segundo ele, nos últimos cinco anos, o governo gastou R$ 17 bilhões com aposentadorias de cerca de 100 mil funcionários estaduais. Rui Costa afirmou que o dinheiro poderia ser investido para beneficiar 14,9 milhões de baianos com “água no semiárido, estrada, unidade de educação”. De acordo com ele, 92% da população baiana ganha até dois salários mínimos. Na área da educação, o governador enfatizou o investimento de R$ 464 milhões para reforma, construção e intervenções em mais de 150 escolas.

O governador também falou sobre o vídeo que tem sido recuperado por servidores para atacá-lo. O vídeo é sobre as mobilizações lideradas por Rui no período em que era sindicalista. “Eu não mudei a minha forma de pensar, porque a base do meu raciocínio é a minha origem social. E vou encerrar esse tópico dizendo. Eu sou de esquerda e estou com os mais pobres, com o meu povo que ganha até dois salários mínimos. E fico com a minha consciência tranquila. Será o povo que ganha dois salários vai bancar isso (os R$ 17 bilhões)? Isso é fazer justiça social? Não estaria (fazendo justiça social) se tivesse fazendo a opção por quem ganha mais”, pontuou.

Ainda na sua fala, Rui Costa falou sobre a conjuntura do país. Disse que o “Brasil precisa se reencontrar com a democracia e vencer o ódio e superar a crise econômica”. “É necessário concentrar esforços, inteligência e recursos para superar o flagelo da desigualdade social por meio de um projeto concreto de desenvolvimento que inclua todos os brasileiros e brasileiras. Só assim vamos construir a saída para essa crise econômica e voltarmos a ser uma nação que aponta para o futuro. Mais do que nunca, precisamos vencer o ódio, o racismo, combater a violência contra as mulheres, superar a pobreza e a discriminação entre as regiões – notadamente, contra o Norte e o Nordeste”, declarou.

Para ele, o “preconceito e o autoritarismo” têm “dividido e enfraquecido” o país. “O desafio que temos pela frente é de natureza civilizatória. A experiência nos mostra que o caminho para o desenvolvimento passa pela construção de consensos e soluções para as demandas reais da população. Não existem atalhos e o Brasil já mostrou, em alguns momentos, que isso é possível. Nós precisamos trabalhar para retomar essa direção”, enfatizou.

COMPARTILHAR