Medo da Covid-19 leva população abandonar animais em esgotos

"/>

A pandemia do coronavírus, que tem amedrontado, matado e unido pessoas no mundo inteiro também mostra uma face cruel do ser humano. Uma destas vítimas da crueldade ocorre com os animais de estimação. Somente em Salvador, cerca de cinco a seis são abandonados diariamente em ribanceiras, esgotos e casas abandonadas, o que indica que 42 pets são lançados a própria sorte semanalmente. Para amenizar e esclarecer a população sobre dúvidas a respeito do assunto, a Universidade Federal da Bahia (UFBA) através dos Programas de Residência do Hospital veterinário, em parceria com o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia (CRMV-BA) lançaram ontem (20), um plantão telefônico, para esclarecer as principais dúvidas da população sobre a Covid-19 .

“Não sabemos ainda se é por falta de dinheiro para comprar alimentação, de informação, medo de pegar o coronavírus através do seu pet, o fato é que aumentou o número de bichos de estimação abandonados pelas ruas de Salvador. Para isso estamos à disposição com o telefone fixo onde podem ser tiradas todas as dúvidas . O certo é que não há nenhuma comprovação científica que comprove que animais sejam vetores da doença”, esclarece o professor e coordenador geral de residência em medicina Veterinária da Ufba, Rodrigo Freitas Bittencourt.

A Central de atendimento começou a funcionar ontem através do telefone 32836736 e está a disposição para dúvidas no horário das 8horas às 16 horas de segunda à sexta-feira.

Quem também está preocupado com a situação é Brigada K9 , que atualmente atua com 40 bombeiros voluntários, todos com especialização em resgate de animais de diferentes espécies, “além das pessoas desinformadas que consideram os animais vetores do coronavírus, existem aqueles que aproveitam situações de calamidade para descartar os animais, principalmente os cães e gatos que estão velhinhos”, lamenta o comandante Emerson França, da Brigada K9.

França diz que as pessoas usam truques como dizer que, “febril, diarreia, vômito e muitas vezes chegamos lá é se trata de outras doenças. Querem se livrar do animal. Só levamos quando o dono for idoso e realmente não tiver como cuidar ou estiver doente. Aí levamos para os abrigos”, França ainda comenta, “outros descartam os animais em esgotos, ribanceiras, casas abandonadas ou para vender e alugar.”

Os bairros com grande concentração de abandono são subúrbio, Brotas, Calçada e Ribeira, “semana passada resgatamos uma caixa com cinco filhotes de cachorros. Estamos reparando que agora abandonam até raças como Pit Bull. Faz pena dos animais”, diz França.

De acordo com França, durante este mesmo período no ano passado o abandono de animais teve um crescimento de 860%, “antes eram abandonados dois animais por dia agora são até seis.”

Os animais resgatados pela K9 são enviados para abrigos como o Animais Aumigos, localizado no bairro de Jardim das Margaridas, agora com o serviço por telefone da Ufba, as ongs também poderão tirar suas dúvidas através dele.

A lei 9605/95, art. 32, estabelece que, praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais pode gerar pena de três meses a um ano de prisão, além de multa estipulada pela Justiça. As denúncias podem ser feitas gratuitamente, pelo telefone 0800 61 8080 ou pelo e-mail linhaverde.sede@ibama.gov.br .

COMPARTILHAR