JURANDY OLIVEIRA COMEMORA OS ANIVERSÁRIOS DE CAÉM E PLANALTO

Com moções de congratulações, o deputado Jurandy Oliveira (PP) comemorou os aniversários de Caem e Planalto, transcorridos neste mês de abril. Nos documentos que registrou junto à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, o parlamentar resgatou a história dos dois municípios e enalteceu seus habitantes.
Localizado no centro-norte baiano e com uma população de aproximadamente 9 mil habitantes, Caém tem como marco do desbravamento o final do século XIX, por ocasião do trânsito de garimpeiros que se deslocavam para as minas de ouro de Jacobina. “Como o movimento nas redondezas era intenso, as pessoas começaram a se estabelecer às margens do rio Prata, posteriormente denominado rio Caém”, relembrou.

Com a construção do ramal ferroviário em 1910 e o deslocamento de operários à procura de trabalho na região, houve o surgimento de cabanas às margens da estrada para abrigar os familiares dos trabalhadores, o que impulsionou o povoamento. No local, contou o legislador, “foi edificada a estação ferroviária, que continha uma placa designativa com a palavra Caém, que simbolizava uma homenagem prestada pelo engenheiro francês Henry de Brutelles, construtor da ferrovia, à sua esposa Marta de Brutelles, natural da cidade francesa de Kahn”.
Em 1933 Caém integrava o território de Jacobina, sendo desmembrado e elevado a município, “com instalação em 7 de abril de 1963”. Foi “com muito orgulho” que Jurandy Oliveira comemorou, “ao lado de todos os caenenses, mais um ano de emancipação desse município, desejando que o crescimento e o desenvolvimento sejam uma constância nessa região, que é integrada por um povo progressista e de iniciativa, extremamente acolhedor e carinhoso”.

Já Planalto, com seus 26,4 mil habitantes, se iniciou com o surgimento de uma fazenda. Comerciantes ambulantes e tropeiros passavam diariamente pela região e, aos poucos, formaram um ponto de encontro para a realização de negócios. Com a chegada da feira e a construção de casas, aumentou o número de moradores na região e formou-se o arraial de Peri-Peri.
Ainda de acordo com o documento legislativo, em virtude do grande fluxo comercial a feira se desenvolveu e foi transferida para a praça Duque de Caxias. “Com isso, foram construídas capelas, casas comerciais, escolas e cinema, que estimularam o crescimento do arraial”. E em 5 de abril de 1962 ocorreu a “tão desejada” independência do município.
“Com imensa satisfação”, Jurandy Oliveira festejou “um dos capítulos mais importantes da história desse município, integrado por um povo progressista e de iniciativa, que transmite tanto afeto que é impossível não estabelecer um elo de carinho com cada um de seus habitantes”.

COMPARTILHAR