Consórcio Nordeste busca investimentos e discute agenda ambiental na França


Os nove governadores se encontraram com a secretária de Estado do Ministério de Transição Ecológica e Solidária, Brune Poirson

Os nove governadores que compõem o Consórcio Nordeste discutiram ontem, em Paris, temas ligados ao meio-ambiente. Após reunião na Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), os gestores se encontraram com a secretária de Estado do Ministério de Transição Ecológica e Solidária, Brune Poirson, quando, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), representando o Consórcio, assinou com a secretária de Estado da França uma carta de intenção de cooperação nas áreas de meio ambiente e cidade sustentável.

De acordo com o governo, o documento prevê cooperação bilateral nas seguintes áreas: proteção da biodiversidade e ecoturismo; agrosilvicultura; gestão do lixo; água e saneamento; cidade sustentável e mobilidade sustentável. As formas de cooperação podem incluir a troca de tecnologias e experiências, além da promoção de seminários e conferências nas áreas citadas.

“Compartilhamos dos mesmos valores da França em relação à preservação do meio ambiente e de apoio ao desenvolvimento sustentável. Nos alegra poder integrar o Nordeste com a França e que possamos desenvolver parcerias também na área ambiental”, disse Rui.

Ainda na tarde desta terça em Paris, os governadores foram recebidos pelo ministro da Europa e de Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian. O grupo apresentou ao ministro o potencial do Nordeste para investimentos estrangeiros e sinalizou a possibilidade de parcerias nas áreas de saúde e agricultura familiar.

Este foi o segundo encontro no ano entre Le Drian e os governadores do Consórcio Nordeste. Durante passagem pelo Brasil no mês de julho, o ministro e os gestores definiram, em Brasília, um roteiro para a realização de projetos que ligam os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Cúpula das Nações Unidas, à prestação de serviços públicos de qualidade.

Na Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), os governadores discutiram o financiamento de projetos para o desenvolvimento sustentável da região. Os gestores trataram de linhas de crédito para investimentos, principalmente, nas áreas de sustentabilidade e agricultura familiar. O Nordeste possui 3,9 milhões de estabelecimentos agrícolas, sendo 77% da agricultura familiar. O Consórcio Nordeste pretende estabelecer parcerias para desenvolver políticas e implementar ações que aumentam a renda do agricultor familiar, permitam a assimilação de tecnologia produtiva e gerem desenvolvimento sustentável com preservação da biodiversidade.

“Destaco a importância de termos acesso a financiamentos de baixo custo para acelerar nossos programas de recuperação das nascentes de rios e apoiar os pequenos agricultores. O nordeste tem o maior número de agricultores familiares do Brasil”, comentou o governador da Bahia e presidente do Consórcio, Rui Costa. Presente no Brasil desde 2007, a AFD financia e acompanha projetos que melhoram a vida das populações,com foco na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e nos resultados do Acordo de Paris. As equipes da AFD trabalham em iniciativas em 115 países. No Brasil, a agência atua em 40 projetos, com 1,9 bilhão de euros já investido.

COMPARTILHAR