Bahia ainda não recuperou R$ 49 milhões com compra de respiradores

O governo da Bahia ainda não recuperou os R$ 49 milhões perdidos com a compra de respiradores. Uma empresa da Califórnia nos Estados Unidos negociou 600 ventiladores pulmonares, mas não entregou os produtos. A aquisição dos equipamentos foi feita para atender as demandas de estados do Nordeste por causa da pandemia do coronavírus, e a Bahia representou a região no acordo.

Ontem, em entrevista à TV Bahia, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, afirmou “não é tão fácil” reaver o dinheiro. “Está caminhando. A parte toda burocrática da devolução está sendo tratada pela PGE (Procuradoria Geral do Estado). Precisa entender que foram feitos pagamentos para a empresa americana, que pagou para a distribuidora em Xangai, que pagou para a fábrica. Para conseguir tirar de volta, cada uma dessas etapas para trás, precisa de documentações formais. Não é tão fácil quanto fazer o pagamento do Estado para lá. A volta é sempre um pouco mais difícil. Mas as coisas estão caminhando, as negociações estão andando. A empresa americana disponibilizou um escritório de advocacia em São Paulo para poder facilitar toda a papelada. Até o momento, estamos tranquilos com esse processo de devolução, que tem sido acompanhado diuturnamente por nós da secretaria e pela Procuradoria Geral do Estado”, declarou.

Na semana passada, o governador Rui Costa (PT) disse que o dinheiro seria recuperado na última sexta-feira. O petista ainda rebateu o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China, Charles Andrew Tang, que chegou a dizer que o governo baiano não iria recuperar o dinheiro porque a empresa americana não existe.

“Eu acho que o presidente da Câmara Brasil-China é a pessoa apropriada para falar da idoneidade de empresas chinesas. Não de empresa americana. Eu quero reafirmar que nos contatos, inclusive, feitos hoje (na semana passada) com a empresa, que temos o contrato e não cumpriu os prazos, (a empresa) voltou a reafirmar que até sexta-feira (da semana anterior) a devolução dos recursos será feita ao governo do Estado da Bahia. E já fez o anúncio no contato com o Estado que abrirá uma ação indenizatória para processar todos aqueles que prejudicaram a imagem da empresa deles. Quando o recurso estiver no governo do Estado, o governo do Estado da Bahia vai acionar com ação penal e indenizatória a todos que divulgaram calúnia ou difamação sobre qualquer ação do Estado. Infelizmente, há um verdadeiro estímulo nacionalmente para que calúnias, mentiras e notícias falsas sejam espalhadas pelo Brasil a fora e nós estamos entrando com diversas ações penais e representações também no Ministério Público para que o Ministério Público agir. Em tempo de pandemia, o que nós precisaríamos é ter outro ambiente no Brasil, de seriedade, de cooperação. Onde muitos buscassem a ajudar, mas infelizmente muitos estão procurando tumultuar, mentir e caluniar”, afirmou o governador na semana passada.

Ontem, a Bahia registrou 11.013 casos de Covid-19, o que representa 17,29% do total de casos notificados no estado e 326 óbitos. Segundo o governo, 7.884 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos. Na Bahia, 1.724 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Os casos confirmados ocorreram em 220 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (61,73%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes foram Uruçuca (3.119,06), Itabuna (2.973,41), Ipiaú (2.812,11), Ilhéus (2.421,04) e Salvador (1.855,97).

O boletim epidemiológico registra 29.133 casos descartados e 63.678 notificações em toda a Bahia. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais

COMPARTILHAR