DESTAQUE- TRIBUNADABAHIA Raio Laser – 6/6 – Negociação Os deputados governistas passaram a se preocupar com o crescimento do movimento grevista

Os deputados governistas passaram a se preocupar ontem com o crescimento do movimento grevista nas universidades baianas depois que foram procurados por várias lideranças do movimento garantindo que, dificilmente, haverá recuo enquanto o governo, segundo eles, não se manifestar com relação à proposta de acordo. Como se sabe, o governo exige o encerramento da greve antes de sentar à mesa de negociação. A situação levou a deputada estadual Neusa Cadore, do PT, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), a defender a importância do diálogo como melhor caminho para negociar e buscar a saída da greve nas universidades estaduais. “São trabalhadores e trabalhadoras que estão lutando para defender a educação pública, gratuita e de qualidade. É uma luta legítima e o governo do Estado precisa manter uma mesa de negociação constante com o movimento”, defendeu Neusa. A deputada, no entanto, reconheceu as dificuldades do governo da Bahia diante da crise econômica e da falta de “rumos” do governo Bolsonaro.

Tensão

Ontem, por exemplo, os professores e estudantes das universidades estaduais ocuparam a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (Secti). Os manifestantes estavam deste anteontem acampados em frente à Secretaria Estadual da Educação. A forte chuva fez o grupo procurar abrigo no interior da Secti. A entrada do local foi barrada por policiais militares, que conseguiram impedir a entrada de parte dos manifestantes. 

Adab

Praticamente batido o martelo no governo com relação à troca do Detran pela Adab na cota do Podemos, partido controlado na Bahia pelo deputado federal Bacelar. O acordo teria sido fechado num encontro entre ele e o governador Rui Costa (PT), que ainda não definiu a posição de vários outros órgãos estaduais, além dos cargos de terceiro escalão.

Reforma

O prefeito ACM Neto (DEM), que também é presidente nacional do Democratas, atacou o governador Rui Costa (PT) pela possível falta de posicionamento do chefe do Executivo baiano sobre a reforma da previdência. Neto disse que o petista tinha uma “posição de oportunismo”.  “É impossível passar despercebido pela postura do governador do Estado que, simplesmente, está em silêncio. Nada fala, nada diz. Chega em Brasília, faz jogo de cena, fingindo que é a favor da reforma, para que estados e municípios estejam incluídos e ele não seja obrigado a encaminhar um projeto para a Assembleia, dizendo qual é sua posição”, criticou Neto.

Voto técnico

Embora tenha elogiado a qualidade do relatório elaborado pelos auditores do TCE sobre as contas do governador Rui Costa, o conselheiro Inaldo da Paixão disse ontem que “não havia evidências suficientes e adequadas para uma manifestação reprovativa”. Inaldo enfatizou que o Ministério Público de Contas reconheceu a melhoria das Contas em relação ao exercício anterior. Em seu voto de 35 laudas, o conselheiro descreveu o cenário político e econômico do País, cobrou a criação do Conselho de Gestão Fiscal, previsto na LRF há mais de 19 anos e não implantado pelo Governo Federal, e destacou a responsabilidade da União no desequilíbrio dos Estados e Municípios.

Ressalvas

Embora não tenha proposto ressalvas, Inaldo destacou que as recomendações sugeridas pelo TCE são verdadeiras advertências ao Poder Executivo, as quais, se validadas pela Assembleia Legislativa, a quem compete julgar em definitivo as Contas, funcionarão como um verdadeiro manual de boa governança.

Leia a Coluna completa na edição impressa do jornal ou na Tribuna Virtual.

COMPARTILHAR