Avô resgata 7 netos em campo de refugiados na Síria

Chileno de 50 anos levou para a Suécia, onde mora, as crianças com idades entre 1 e 8 anos que estavam abrigadas no nordeste da Síria; os pais dos menores, que se uniram ao grupo jihadista em 2014, teriam morrido em combate neste ano

OPENHAGUE – Patricio Galvéz, um músico chileno residente na Suécia, chegou nesta quarta-feira, 15, a Gotemburgo com os sete netos, órfãos de jihadistas, um mês depois de viajar para a Síria para resgatá-los do campo de refugiados de Al-Hol.

As crianças, com idades entre 1 e 8 anos, foram levadas ao campo de Al-Hol após a queda, no final de março, de Al Baguz, o último reduto do califado criado no norte da Síria e do Iraque pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), ao qual seus pais tinham se unido depois de deixar a Suécia

As autoridades curdas que controlam a região autorizaram na semana passada, após uma negociação com a Suécia, a transferência das crianças ao Iraque para se reunir com o avô, submetê-las a exames médicos e realizar os últimos trâmites burocráticos.

“A viagem foi boa, estiveram tranquilas. Agora a polícia virá nos buscar e nos levarão aos escritórios dos serviços sociais”, declarou Galvéz à televisão pública sueca “SVT” no aeroporto de Gotemburgo.

Galvéz revelou que os netos estavam “muito felizes” e gritaram ao voltar a Gotemburgo, onde residiam seus pais  – sua filha era Amanda González, uma sueca de origem chilena, e seu genro era Michael Skramo, um jihadista norueguês conhecido pelos vídeos nos quais convidava compatriotas a se unir ao EI e cometer atentados na Suécia.

COMPARTILHAR